domingo, 12 de abril de 2009

Brasil

...E estava obnubilada pela poluição,a mente já não era tão sagaz como fora dantes,nem o corpo viril, desgastavam-se mais e mais conforme os ponteiros da vida se movimentavam em um momento-movimento anti-horário ao horário vital,a penugem da áurea juventude estava as mínguas,os poucos caraminguás que outrora rendiam-lhe excelente feira,nestes tempos atuais não eram o bastante para custear seus vícios,era um homem abarrotado de vícios,levara o sopro de vida sempre com um copo daquela bebida amarelecida,fermentada,tão amarga quanto a própria existência taciturna ,escondia entre os quirodáctilos papel com ervas,onde sugava e assoprava,um ritual,no qual pedia auxílio a Deus,os tempos eram difíceis,as necessidades nutricionais não podiam ser supridas devido o valor exorbitante dos alimentícios,e pensar que outrora alimentara-se com alimentos puros e inocentes,a preço nenhum,e agora estava a pagar olhos por aquilo,sem sabor,intoxicado,desbotado,estocado em um recipiente que poderia ferir-lhe as mãos hora ou outra,seria esta uma maneira de vingança da natureza para com os modos robóticos que o homem estava a tomar,pela venda do patrimônio natural e público?Podia ser...
Os maus hábitos sempre cultivados, agora formatavam-se em uma bola de neve, sentia como se estivesse em uma montanha íngreme sendo perseguido por seus atos e pensamentos,aquele animal também pensava,mas de um formato peculiar, grosseiro,ignorante,inculto,mas era criativo,era necessário sobreviver...
Para o sustento de suas proles as vezes se tornava irrevogável o larápio,os hábitos notívagos,infelizmente a natureza humana possui o vício de julgar para "classificar", conhecido por malandro em toda a região,seu nome é Brasil...

2 comentários:

André disse...

uma linguagem complexa para um povo nao sabe comer de garfo e faca - voce tem um publico muito seleto - o texto é refinado e esta pronto para ser publicado em jornais. parabens! poesia de brasileiro é trova e repente

Camila disse...

Complexo, completo...
Dentre estúpidos e ignorantes alguem com uma linguagem culta, crítica e real.
Gostei do texto e concordo plenamente com o André.